Centro Cultural Olido vai abrigar Galeria do DJ e das Novas Mídias em SP.

Claudia Assef, é uma jornalista, escritora, curadora e DJ brasileira. Autora do livro “Todo DJ Já Sambou“, atua no jornalismo especializado em música. Ela também é publisher do site “Music Non Stop” e ao lado de Monique Dardenne fundou o “Women’s Music Event”, plataforma de conteúdo e eventos que visa aumentar o protagonismo da mulher na indústria da música.

[responsivevoice_button voice=”Brazilian Portuguese Female” buttontext=”Ouça o Post”]

Claudia Assef / Foto Reprodução

Esta mulher não para, ela é uma verdadeira Wokaholic na cena eletrônica nacional. E para acrescentar mais um capítulo na sua incessante carreira, foi convidada pelo atual Secretário da Cultura de São Paulo, Alexandre Youssef para ser a pessoa à frente da criação da Galeria do DJ. E a localização não poderia ser mais icônica; dentro do Centro Cultural Olido, espaço que será ocupado também por experimentos eletroacústicos, espetáculos que dialogam com tecnologia, encontros entre DJs e danças urbanas como house, passinho, Vogue etc. Há ainda a intenção de transformar a Galeria do DJ num centro de convergência de novas mídias, um local onde a população possa ter acesso a novidades do universo dos VJs, instalações audiovisuais e afins.

- Publicidade -

Vitrine da Olido, vista do lado de fora, lá dentro DJs de diversos estilos irão animar as tardes de quem passa por ali – Foto Reprodução

Claudia cita uma frase interessante como forma de agradecimento:

Foi assim, como um presente kármico do universo, que eu recebi o convite para ser a pessoa à frente da criação da Galeria do DJ, um espaço de exposições, workshops e atividades permanentes para celebrar esse personagem central de quase toda a música produzida atualmente.”

Fechada da Galeria Olido, onde será inaugurada a Galeria do DJ

A Olido continuará existindo como um local histórico da cidade, e serão mantidas ali as atividades que mantêm regularidade e público cativo. O prédio fez parte do patrimônio do imigrante espanhol Domingos Fernando Alonso, que desembarcou no Brasil em 1906. O Cine Olido foi inaugurado em 1957, com a junção dos nomes do dono e de sua esposa, Olívia (Oli+Do).

Uma das ações que o projeto pretende por em prática em breve será ocupar a famosa Vitrine da Dança, que irá assumir seu papel literal de vitrine, com DJs dos mais diversos estilos tocando ali nos finais de tarde. Como bem disse o Secretário:

O intuito da criação desse centro é dar a devida importância a toda uma cultura que se formou em torno do DJ e da música eletrônica (sem distinção de gênero), dignificando e reconhecendo sua importância dentro da economia criativa e estendendo à população a possibilidade de se apropriar de conhecimentos inerentes a esse universo

E Claudia ainda acrescenta:

Com a chegada da Galeria do DJ a ideia é transformar a Olido num espaço de conhecimento e experiência pulsante, assim como acontece em prédios vizinhos, como a Galeria do Rock e o Sesc 24 de Maio. Faz todo o sentido situar a Olido como um centro onde jovens de 0 a 100 anos possam viver o amor por essa arte que transformou o mundo que conhecemos hoje. E, mais além, transformar esse amor em conhecimento, esse conhecimento em profissão, e a profissão em boletos pagos. São Paulo se tornará assim a primeira cidade do mundo a ter um local público para edificar a cultural do DJ. E, enquanto o Momem (Museum of Modern Electronic Music) não abre as portas em Frankfurt, Alemanha, dá pra dizer que teremos o primeiro centro de cultural voltado para a música eletrônica do mundo.”