São Paulo muda regras da quarentena após aumento de internações e mortes

A decisão de deixar mais rígida a quarentena ocorre uma semana depois das festas de fim de ano. Especialistas em saúde alertaram a explosão de casos

Sem a presença do governador João Doria, o governo de São Paulo informou nesta sexta-feira (8), em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, uma nova reclassificação do Plano São Paulo, que coordena as medidas de abertura da economia em meio à pandemia de Covid-19 no estado.

O anúncio foi feito pelo secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn. Houve um aumento de 30% em novos casos e de 34% em novos óbitos, além de 8% em número de novas internações.

Com as novas regras, para que regiões possam ir para a fase verde, a mais flexível do Plano SP, será necessário ter 30 internações por 100 mil habitantes  e 3 óbitos pro 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Antes, o critério utilizado era de 40 internações e 5 óbitos por 100 mil habitantes.

Além disso, explica Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência, o parâmetro para a taxa de ocupação de UTI que caracteriza a fase laranja, a segunda mais rígida no Plano SP, passou de 75% para 70%.

No geral, os indicadores se tornaram mais rígidos, mas com isso o governo decidiu liberar mais atividades na fase laranja, como abrir parques estaduais, salões de beleza, academias e eventos com público sentado. Outro detalhes que muda, segundo o Centro de Contingência, é o horário de funcionamento dos estabelecimentos. Na fase laranja, todos devem interromper as atividades às 20h. Na amarela, apenas os bares devem encerrar às 20h, mas fica valendo o máximo de 10 horas de abertura por dia. No entanto, alerta, devem ser respeitadas as regras relacionadas à capacidade:

— Esse é um voto de confiança à população e de reconhecimento a quem está fazendo seu trabalho. Mas existe uma enorme responsabilidade a todos — disse Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico. — Estamos em um momento muito importante da pandemia. Mesmo que tenhamos indicadores de fase amarela, se não houver a colaboração de todos, na próxima reclassificação teremos mais regiões na fase laranja. É isso que precisamos evitar.

Com a reclassificação, 13 regiões de São Paulo estão na fase amarela: Araçatuba, São José do Rio Preto, Barretos, Franca, Ribeirão Preto, Araraquara, Bauru, Piracicaba, São João da Boa Vista, Campinas, Grande São Paulo, Baixada Santista e Taubaté. Presidente Prudente, Marília, Sorocaba e Registro foram readequadas na fase laranja.

O GLOBO já havia revelado na quinta-feira que os especialistas do comitê científico que faz as recomendações à Secretaria de Saúde defendiam novas regras de restrições no estado para incentivar o distanciamento social e diminuir o contágio pelo novo coronavírus. Leia mais aqui.

Com informações: O Globo, SRzd.

Foto: Roofttop – Skye Bar by Tripadvisor.

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui