SP: 2º fim de semana de funcionamento noturno é marcado por desrespeito às orientações de distanciamento social

Segundo a reportagem da Veja SP, nem o uso obrigatório de máscara, que só pode ser retirada durante a refeição, ou o distanciamento em filas estavam sendo seguidos no Itaim Bibi – SP.

Por volta das 20h, a ruazinha estreita, localizada entre as avenidas Faria Lima e Presidente Juscelino Kubitschek, lembrava o movimento de um sábado qualquer, como se não houvesse pandemia. Um bar, na mesma rua, e o outro, na vizinha Rua Professor Atílio Innocenti, também apresentavam aglomeração.

No primeiro fim de semana de funcionamento noturno, alguns empresários haviam destacado como ponto positivo a euforia da clientela — que consumiu mais, mas sem aglomeração. Bastou uma semana, porém, para que o relaxamento ultrapassasse os limites dos cuidados necessários. Estabelecimentos na Vila Madalena também registraram movimento intenso.

- Publicidade -

Pelo decreto do governo do estado, o limite permitido de funcionamento é de seis horas diárias — o proprietário decide como dosá-las. Dados fornecidos pela Secretaria das Subprefeituras mostram que até o último domingo (9), 559 endereços do segmento haviam sido interditados desde o início da quarentena — 319 foram fechados após a reabertura gastronômica, grande parte por operar fora do horário permitido, a maioria nas Subprefeituras de Sé, São Mateus, Pirituba/Jaraguá, Guaianases, Freguesia do Ó e Aricanduva.

Fonte: Veja SP.Foto da capa: Bares SP.