Em sua 1ª edição, a SEMANA PRIDE mostrou a riqueza e a representatividade da cena LGBTQIA+ brasileira

Há pouco mais de um ano, a DJane Mag Brasil começou a dar mais voz às DJs mulheres da cena LGBTQIA+

Foram inúmeras matérias e entrevistas com grandes talentos que, até então, eram deixados de lado da cena eletrônica “mainstream” no Brasil. Um ano se passou e aqui estamos, com muito orgulho, podendo mostrar um pouco do que rolou na #semanaPRIDE da DJane Mag Brasil.

Foram sete dias de bate-papos com personalidades da cena LGBTQIA+, contando um pouco da trajetória de suas carreiras, esbanjando representatividade e apresentando a cena para todxs que ainda não conheciam a riqueza dos grandes eventos que rolam no Brasil e no mundo.

Participaram dos talks a empresária e produtora transexual Barbara Bombom e as DJs Laurize, Van Müller, Má Rodrigues, Lela Gomes, Fe Tavares e Dominick. Todxs deram o seu recado sobre representatividade e valorização de nossa cena. Em destaque, Barbara nos contou sobre um de seus selos que conta com o lineup exclusivamente feminino ”Womans Got The Power”, que não acontece apenas no mês das mulheres (março). “Precisou vir uma empresária transexual para criar um selo como este.” – comentaram durante o talk, além de tocar no assunto sobre falta de patrocinadores dentro da cena.

As DJs transexuais, Fe tavares e Dominick, falaram sobre o processo de transição de gênero e a aceitação dentro da cena LGBTQIA+, além do tamanho da representatividade que elas tinham por terem escolhido a tão respeitada profissão DJ. Em outro bate-papo, a DJ Lela Gomes citou alguns dos mais absurdos tipos de preconceitos ocorridos ao longo de sua carreira: “Sofri mais preconceito por ser gorda do que por ser lésbica“.

- Publicidade -

Muitos assuntos foram abordados por todxs durante os 7 dias de bate-papo, mas, o mais importante foi o amor pelas suas profissões, que levam a mensagem de acreditar em seus sonhos, irem a luta, mesmo dentro de uma cena que muito precisa mudar, mas que mesmo assim elas não perdem a força e a esperança de que dias melhores estão por vir, e que o poder delas de levar a alegria em forma de música e show para o grande público LGBTQIA+ é extremamente gratificante para suas vidas.

Confira abaixo todos os bate-papos na íntegra.


Já no Live DJ Set, transmitido pelo canal do YouTube da revista, tivemos a presença das DJanes: Rozy Acioli, Mari Casagrande, Ana Julieta, Fernanda Mello, Fe Tavares e Bell Roncoli. Todxs levaram a mesma vibe das Prides do Brasil e do mundo para essa primeira edição da SEMANA PRIDE, com grandes hits que marcaram várias gerações até os dias de hoje, e que você pode assistir na íntegra abaixo.

Diego Aganetti, mineiro, vivendo em São Paulo, que chegou nos seus 30 anos de idade e teve diversas experiências nos grandes eventos da cena LGBTQIA+. Atualmente voltou para o mercado de produção de eventos, com sua nova marca SIGN.