The Black Madonna mudou seu nome artístico para ‘The Blessed Madonna’ em resposta a acusações de ‘apropriação cultural’

A decisão surge na sequência de uma petição pedindo que a artista, nome real Marea Stamper, mude seu apelido com o argumento de que é uma forma de apropriação cultural e blackface digital.

A petição foi iniciada pelo DJ e chefe da gravadora do Black Catalog Monty Luke, que diz que tentou duas vezes entrar em contato com Stamper para discutir maneiras pelas quais ela poderia mudar seu apelido, porque o nome The Black Madonna “tem significado para católicos em todo o mundo, mas especialmente para católicos negros nos EUA, Caribe e América Latina Além disso, o Santuário da Madona Negra de Detroit tem sido uma figura cultural importante para muitos interessados ​​na ideia de feminismo negro e autodeterminação nos últimos 50 anos. além disso, deve ficar claro que, em 2020, uma mulher branca que se diz negra é altamente problemática“.

A petição foi publicada ontem e até agora recebeu mais de 1000 assinaturas.

Ela disse que o nome, que se refere a estátuas e pinturas nas tradições cristãs católicas e ortodoxas que descrevem a Virgem Maria como de pele escura, se tornou “um ponto de controvérsia, confusão, dor e frustração“.

Em uma legenda, a nativa de Kentucky disse: ‘Eu sempre fui transparente sobre minha fé porque senti a responsabilidade de ser claro sobre quem eu era e quem não era. O nome era um reflexo da profunda devoção católica de minha família a um tipo específico de ícone europeu da Virgem Maria, de tom escuro. As pessoas que compartilharam essa devoção adoraram o nome, mas, em retrospecto, eu deveria ter escutado com mais atenção outras perspectivas.

- Publicidade -

“Mas agora eu ouço alto e claro. Meu nome de artista tem sido um ponto de controvérsia, confusão, dor e frustração que distrai coisas que são mil vezes mais importantes do que qualquer palavra única nesse nome. Estamos vivendo tempos extraordinários e essa é uma parte muito pequena de uma conversa muito maior, mas todos temos a responsabilidade de tentar afetar as mudanças positivas da maneira que pudermos. Quero que você se sinta confiante na pessoa que sou e no que represento.”

Ver essa foto no Instagram

Friends, I have changed my name to The Blessed Madonna. I have always been transparent about my faith because I felt a responsibility to be clear about who I was and who I was not. The name was a reflection of my family’s lifelong and profound Catholic devotion to a specific kind of European icon of the Virgin Mary which is dark in hue. People who shared that devotion loved the name, but in retrospect I should have listened harder to other perspectives. But now I hear loud and clear. My artist name has been a point of controversy, confusion, pain and frustration that distracts from things that are a thousand times more important than any single word in that name. We're living in extraordinary times and this is a very small part of a much bigger conversation, but we all have a responsibility to try and affect positive change in any way we can. I want you to be able to feel confident in the person I am and what I stand for. Thank you for listening. Stay blessed. -Love Marea PS: If you read this far, arrest the cops that murdered Breonna Taylor in my hometown of Louisville, Kentucky: Jonathan Mattingly, Brett Hankison, Myles Cosgrove.

Uma publicação compartilhada por The Blessed Madonna (@blessed_madonna) em

Monty Luke diz que iniciou a petição porque não recebeu uma resposta a dois e-mails que havia enviado ao Stamper. Uma declaração publicada na página Change.org da petição diz:

Em 14 de junho deste ano, enviei um e-mail para Marea Stamper, em um esforço para abrir um diálogo sobre a possibilidade de ela deixar de usar seu apelido de DJ, The Black Madonna. Esse nome,” The Black Madonna “, tem significado para os católicos. Além disso, o Santuário da Madona Negra de Detroit tem sido uma figura cultural importante para muitos interessados ​​na ideia do feminismo negro e na autodeterminação do passado. 50 anos. À parte as conotações religiosas, deve ficar claro que em 2020 uma mulher branca que se diz negra é altamente problemática. Expliquei essas coisas na minha mensagem e concluí o e-mail com algumas sugestões práticas sobre como a transição do apelido/pseudônimo poderia ocorrer.

Não recebi resposta.

No intervalo, vários artistas e organizações com laços muito mais profundos e antigos com apelidos problemáticos anunciaram que não os usariam mais. Lady Antebellum, The Dixie Chicks, Cleveland Indians da Major League Baseball e a equipe da NFL com sede em Washington DC, todos fizeram a mudança. Por que não pode Marea Stamper? A realidade é que não há melhor momento para fazer essa alteração. Ninguém está trabalhando. Ela poderia dizer à equipe de managers que decidiu não usar mais o apelido. Eles poderiam enviar um comunicado de imprensa típico anunciando a mudança e, quando as coisas começarem a voltar, facilmente concluir a transição colocando “(The Black Madonna)” entre parênteses com seu próprio nome (ou qualquer novo apelido que ela escolher) por algumas semanas em todos os shows/flyers/redes sociais/etc. Tudo o que é feito antes da troca (música, mercado, videogame etc.) permanece como está.

Um email de acompanhamento enviado em 7 de julho também ficou sem resposta. É por isso que agora estou recorrendo a essa campanha de petição pública para efetuar essa mudança.

Stamper já enfrentou pedidos para mudar seu apelido, mas até agora escolheu defendê-lo.

A DJ foi o tema de uma petição (Foto: Instagram / blackmadonnachi)

Com informações: Mixmag.

Tradução: DJane Mag Staff