A live caiu? Facebook e Instagram introduzem novas regras para tocar músicas em Lives

Além do YouTube e do Twitch, muitos artistas têm usado o Facebook e o Instagram para fazer suas lives e compartilhar apresentações musicais. A partir desta semana, artistas e equipes terão que repensar a maneira como lidam com suas transmissões, já que o Facebook (que comprou o Instagram em 2012) instituiu novas diretrizes para tocar música na Live.

Um novo post do Instagram (que também se aplica ao Facebook) descreve as novas políticas, apontando para os acordos existentes com os detentores de direitos musicais.

Nossas parcerias com detentores de direitos uniram as pessoas em torno da música em nossas plataformas. Como parte de nossos acordos de licenciamento, existem limitações quanto à quantidade de músicas gravadas que podem ser incluídas em transmissões ou vídeos ao vivo. Embora as especificidades de nossos contratos de licenciamento sejam confidenciais, hoje estamos compartilhando algumas diretrizes gerais para ajudá-lo a planejar melhor seus vídeos.”

  • Não há limites para coisas como música no Stories ou apresentações musicais tradicionais (por exemplo, filmar um artista ao vivo ou uma banda se apresentando).
  • Quanto maior o número de faixas gravadas em um vídeo, maior a probabilidade de ela ser limitada.
  • Por esse motivo, clipes de música mais curtos são recomendados.
  • Sempre deve haver um componente visual no seu vídeo; o áudio gravado não deve ser o objetivo principal do vídeo.

De acordo com as diretrizes, se seus sets do IG Live DJ são interrompidos parece depender da duração das faixas que você toca – os DJs do dubstep podem ver mais margem de manobra aqui do que os DJs de trance ou house, que tendem a tocar músicas mais longas em suas mixagens. Os DJs como um todo poderiam ser menos afetados do que outros artistas.

Você pode ler a atualização completa e as diretrizes aqui.

- Publicidade -

Fonte: yourEDM.

Tradução: DJane Mag Staff