Tomorrowland: Confira o resumo da primeira edição do festival digital


Durante este final de semana, pudemos assistir à primeira edição digital do Tomorrowland: Around The World.

60 artistas históricos deram vida a esta edição histórica do festival belga, em seus 8 palcos virtuais na inventada ”ilha de Papilon”.

Um ambiente virtual de qualidade, desenvolvido em tempo recorde para sediar esta primeira edição digital, causada pela pandemia global que nos roubou tantas coisas em 2020.

Sábado 25 de julho

O Tomorrowland Around World começou no sábado 25 de julho com Oliver Heldens e fechou o palco com Dimitri Vegas & Like Mike.

Durante esse dia, artistas como Nervo, Charlotte De Witte, ANNA, Vintage Culture, Lost Frequencies, Adam Beyer, Paul Kalkbrenner, Solardo, Claptone, Armin van Buuren e Tale Of Us, entre outros, podem ser apreciados no dia mais interessante em termos de artistas.

- Publicidade -

Neste dia, destacamos NERVO, Charlotte De Witte e a performance de nossa amada ANNA (única artista feminina brasileira). Também digna de nota é a performance de Katy Perry, que deu a ela a nota pop de que a organização está buscando muito nas últimas edições do festival.

Domingo 26 de julho

O festival continuou no domingo, em um dia em que as dúvidas já estavam esclarecidas e em que foi possível apreciar sets de artistas como Amelie Lens, Cat Dealers, Don Diablo, David Guetta, Joris Voorn, Kölsch, Wildstylez, Vini Vici entre outros.

O encerramento do mainstage foi de responsabilidade de Martin Garrix.

Resumo

Impressionante exibição técnica e de recursos, mais uma vez, do Tomorrowland, que não sabe como fazer outras coisas além de um grande evento.

Com uma estimativa do festival de mais de um milhão de espectadores – e não de ingressos vendidos – não há dúvida de que o acompanhamento foi global e massivo. Não sabemos se o suficiente para fazer o enorme investimento dessa implantação deve ter sido lucrativo, mas é outra história.

No nível visual, tem sido uma aposta colorida e bem resolvida, tendo sido fácil cair no precário no que diz respeito aos ambientes digitais, um sentimento muito distante do que pudemos experimentar neste fim de semana.

No sábado, alguns problemas com as conexões podem ter feito você se desesperar em algum momento, mas é inevitável em uma conexão de tal magnitude. Mas é irritante e deve ser dito.

Onde posso ver os sets?

Se você não assistiu ao vivo, terá que esperar, porque, embora tenhamos certeza de que todos os sets acabarão no YouTube – há muito dinheiro em jogo -, no momento você só pode (re)viver no site deles.

Portanto, se você já pagou, ou se deseja fazê-lo agora, a partir de quartafeira, 29 de julho, todos os sets do Tomorrowland Around do World estarão disponíveis sob demanda por duas semanas.

Tomorrowland digital em 2021

Haverá uma nova edição digital do Tomorrowland?

Bem, é uma incógnita ainda e não tem resposta. Em um cenário como o atual, não há outra opção. Mas esperamos e desejamos com todas as nossas forças que essa maldita pandemia acabe em breve e para sempre em nossas vidas, e no próximo ano poderemos voltar a descer a ladeira do De Schorre Park a caminho do mainstage.

E se já existem festivais reais, um Tomorrowland digital terá um lugar? Somente o tempo dirá.

Resumo

O festival foi um passado verdadeiro e um caminho aberto para o futuro dos eventos digitais na indústria da música, que era o objetivo do Tomorrowland.

Por esse motivo, você precisa tirar o chapéu diante dessa grande e ousada iniciativa.

Mas um festival digital nunca pode ser comparado com as sensações, a emoção e a paixão de viver a música ao vivo, cercado por você e milhares de estranhos por alguns dias por algo tão bom quanto a música.

???? Pontos positivos

Ambiente digital muito trabalhado

Implantação técnica impecável

Artistas e performances de destaque

???? Pontos negativos

Um ambiente digital não pode substituir um festival real

Alguns problemas de conexão

Os artistas não têm o calor do público e isso ficou à mostra

Com informações: EDM Red.