Representação feminina na cena DJ cresce, mas ainda é pequena

A pesquisa anual do IMS Business Report acaba de ser publicada e nos traz os tópicos mais populares do setor. Um deles é inevitavelmente a igualdade de gênero na comunidade artística e na representação feminina de DJs.

A arte do DJing e da produção musical não tem gênero, e os botões e faders são igualmente sensíveis às mãos masculinas e femininas. Mesmo assim, ainda existe algum desequilíbrio na representação dos DJs hoje em relação ao gênero.

A boa notícia é que, apesar de tudo, a representação feminina está crescendo, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Para discutir os resultados, vale lembrar que a fonte do IMS é a análise dos dados da Pesquisa Google para os artistas que aparecem na DJ Mag Top 100 em um determinado ano e que são identificáveis ​​nos dados da Pesquisa Google. Em 2020, o público votou 13 DJs femininas no Top 100 da DJ Mag.

Leia a seguir: ‘É uma declaração de exclusão’: festivais de música voltam ao Reino Unido, mas ainda faltam mulheres nos lineups

Este foi um aumento generoso considerando que em 2019 apenas 8 foram votadas, em 2018 apenas 6 e em 2017 apenas 4. No entanto, estes são pequenos passos para percentagens mais iguais em comparação com artistas masculinos. Das 13 mulheres artistas representadas no topo, 5 são ‘novas entradas’, retratando o surgimento de cada vez mais mulheres na indústria. As irmãs NERVO continuam a ser uma dupla de destaque, estando representadas neste ranking pela nona vez, apesar de ainda não considerarem a verdadeira pesquisa com base nos dados do ranking da DJane Mag em todo o mundo. Confira abaixo o gráfico extraído da pesquisa.

Imagem via: Pesquisa IMS Business Report, página 90

Já sabemos que a representação feminina na cena DJ é uma realidade muito mais clara e verdadeira com testemunhos baseados na nossa realidade! Ainda tem dúvidas? Considere realizar uma pequena consulta no nosso portal internacional neste link e confira a enorme lista de “DJs mulheres anônimas”, inclusive as que representam o Brasil, já que, segundo o gráfico acima, supostamente estão em último lugar. Isso vai mudar, acredite! Nós da DJane Mag trabalhamos dia e noite, 24/7, incansavelmente com foco no único objetivo de mostrar a força das mulheres na cena DJ mundial!

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui