Techno é “menos eficaz na redução da ansiedade”, mostra estudo

Um novo estudo descobriu que o ‘techno‘ é a forma menos relaxante de música – qualquer pessoa que passou o fim de semana no Movement ou no Berghain pode discordar

Techno é o gênero “menos afetivo para reduzir a ansiedade”, de acordo com um novo estudo. Um total de 1540 voluntários com idades entre 18 e 65 anos tocaram uma variedade de músicas, com techno, dubstep e hinos do rock dos anos 70, os três principais tipos de música que registraram um aumento em sua pressão arterial.

Os gêneros com maior probabilidade de diminuir a pressão arterial dos voluntários foram os pop dos anos 80 e 2000 e – talvez uma pista para o grupo demográfico que considerava o techno e os clássicos do heavy metal ‘estressante’.

Leia a seguir: Entenda o fenômeno “Techno” que tem tomado conta dos maiores festivais de música do mundo

Techno, dubstep e chillout clássico também foram os três principais gêneros para aumentar a frequência cardíaca entre os voluntários.

O estudo foi conduzido pela Vera Clinic, que também redigiu o Dr. Ömer Avlanmış para revisar os resultados.

“Do ponto de vista médico, eles fazem muito sentido”, disse Avlanmış. “Os sucessos pop dos anos 80 podem ter uma nostalgia positiva ligada a eles para muitas pessoas, e seus sons animados e festivos podem induzir a liberação de endorfinas e serotonina no cérebro, aumentando a sensação de felicidade e calma. Em termos de heavy metal, eu observaria que a música raivosa pode ajudar os ouvintes a processar seus sentimentos e, como resultado, levar a um maior bem-estar.”

É sempre interessante encontrar estudos sobre como a música pode ter um impacto tão grande em nosso humor e bem-estar. Fãs de techno e dubstep, no entanto, podem ter algumas divergências com este estudo.

[ Via mixmag ]

Foto por lookstudio.

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui